FanFic Tokio Hotel

Gostas da banda alemã Tokio Hotel? Gostas de criar com eles? Saber tudo sobre eles? Então inscreve-te aqui! Podes desde escrever FanFic's a postar vidios teus ou que gostes....Have Fun
 
InícioInício  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  LoginLogin  

Compartilhe | 
 

 Não é apenas Twincest, é amor... [ONE-SHOT]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Adriana♥B.K.♥



Mensagens : 5
Data de inscrição : 02/08/2010
Idade : 22

MensagemAssunto: Não é apenas Twincest, é amor... [ONE-SHOT]   Seg Ago 02, 2010 9:34 pm

- Fala para mim Bill, diz-me o que se passa. Eu quero ajudar-te. – Implorou Tom pela milésima vez naqueles três meses.
- Deixa-me.
- Não! Eu sou teu irmão e quero saber o que se passa! Eu tenho o direito de saber o que se passa! Desde aquele dia em que foste receber o resultado dos exames que andas assim e eu já não aguento mais isto!
- Eu vou MORRER! Amanhã é o meu último dia de vida, era esse o resultado dos exames! Eu não te queria dizer porque não queria que tu sofresses antecipadamente. ESTÁS SATISFEITO AGORA?? – Disse Bill com lágrimas a escorrerem-lhe pela face.
Tom sentiu o chão a fugir-lhe dos pés, o raciocínio a escapar-lhe do cérebro e o telemóvel que tinha nas mãos caiu aos seus pés sem sequer ele se aperceber. Aquelas palavras de Bill recusavam-se a entrar na sua cabeça. Ele ouvira-as nitidamente, mas elas não passavam para além dos seus tímpanos.
Sentou-se. Lembrou-se que tinha de respirar e deu um longo suspiro. Olhou para Bill e deparou-se com o seu irmão gémeo ajoelhado no chão e a chorar.
- Último dia de vida?? Tu estás parvo ou quê?? – Perguntou Tom que ainda não conseguia acreditar no que o irmão lhe dissera.
Bill apenas levantou a cabeça e olhou para Tom durante uns instantes sem nunca parar de chorar. Depois levantou-se e fechou-se à chave dentro do seu quarto.
Demorou mais de meia hora até Tom se conseguir convencer de que Bill iria mesmo morrer. Depois demorou apenas um minuto para perceber que estava a perder tempo ao estar ali a pensar, em vez de estar a aproveitar os últimos momentos junto do seu irmão. E por fim levou apenas alguns segundos para decidir que estava na hora de revelar a Bill aquilo que sentia verdadeiramente por ele.
- Bill abre a porta. – Pediu Tom tentando parecer calmo.
Bill decidiu abrir-lhe a porta porque queria revelar-lhe tudo o que o irmão significava para ele antes que fosse tarde, antes que o seu último bater do coração chegasse.
Sem pensarem mais atiraram-se aos braços um do outro e deram um abraço apertado. Depois olharam-se mutuamente e como se tudo isto não passasse de um teatro ou algo semelhante disseram os dois em coro:
- Eu amo-te.
Sim, era um teatro, o teatro da vida real que começa quando nascemos e termina quando morremos. Pelo meio vamos fazendo algumas actuações maravilhosas e estupendas que põem o público a aplaudir entusiasticamente. Outras não ficam assim tão maravilhosas e ninguém nos quer ver e aplaudir. Seja como for não devemos desistir nunca. Há alguns que desistem, mas felizmente a maioria não o faz. Infelizmente, muitos chegam ao fim sem terem representado todos os papéis que lhes estavam destinados.
Bill amava Tom. Tom amava Bill. Mas não se tratava apenas de amor de irmãos. Era amor tal e qual aquele que uma mulher e um homem sentem um pelo outro, neste caso entre dois homens que ainda por cima também eram gémeos.
Estavam os dois a olhar um para o outro em pé no meio do quarto. Tom levantou a mão esquerda e levou-a até à face do irmão limpando-lhe as últimas lágrimas que haviam caído dos seus olhos. Bill arrepiou-se ao sentir a pele suave e quente de Tom a tocar na sua.
Deixaram-se levar suave e calmamente pelo calor das emoções e aproximaram-se mais um do outro até que os seus lábios se tocaram. Abraçaram-se mutuamente e deixaram que o beijo ganhasse mais intensidade.
Bill puxou Tom suavemente para a sua cama e deitaram-se um em cima do outro enquanto se continuavam a beijar.
Depois afastaram um pouco as suas faces e novamente ficaram a olhar um para o outro. Olhos nos olhos, mãos com mãos, corpo com corpo. No olhar de ambos podia ver-se reflectido o amor profundo e incondicional que sentiam um pelo outro e que até aqui tinha estado escondido dentro dos seus corações.
Tiraram a roupa um ao outro sem pronunciarem qualquer palavra, apenas com o som das suas respirações cada vez mais ofegantes e os corações a baterem loucamente nos seus peitos.
Bill passou as mãos lentamente ao longo das costas de Tom e beijou-o no pescoço.
Tom entrelaçou os seus dedos nos cabelos de Bill e sussurrou-lhe ao ouvido “És meu”.
Isto não era apenas Twincest, era também amor. Amor sincero e irrevogável entre dois irmãos.
A luz da Lua entrava pela janela e iluminava-lhes os corpos unidos num só. Os corações batiam acelerados ao mesmo ritmo. As respirações ofegavam e falhavam continuamente. As mãos de um percorriam todos os cantos do corpo do outro e vice-versa. Os lábios uniam-se e moviam-se em perfeita sincronia. As línguas entrelaçavam-se como se tivessem sido feitas uma para a outra. O fogo do amor e do desejo apoderara-se deles e fundia os dois corpos num só num estado de prazer imenso e digno do Céu.

Senti a claridade a bater-me na cara e a despertar-me lentamente. Abri os olhos vagarosamente e olhei para o relógio. Duas e meia da manhã. Senti a garganta seca e levantei-me para ir beber um copo de água enquanto pensava no sonho que acabara de ter…

Que tal? Comentem Smile
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
anna
Convidado



MensagemAssunto: amei   Seg Jul 11, 2011 11:47 pm

amei mesmo Smile
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Não é apenas Twincest, é amor... [ONE-SHOT]
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Dádiva de Amor || Capítulo 29
» Dádiva de Amor || Capítulo 55
» Dádiva de Amor || Capítulo 31
» Dádiva de Amor || Capítulo 33 (REVIRAVOLTA)
» Dádiva de Amor || Capítulo 34

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
FanFic Tokio Hotel :: Twincest :: FanFic's & Shot's +16/18-
Ir para: